terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Categorias:
,

Impressões dos quadrinhos da Guerra Civil

Guerra Civil - Marvel (2)

Li toda a saga da Guerra Civil, da Marvel, e tenho algumas considerações a fazer:

Revistas inúteis para a saga

  1. Algumas revistas são simplesmente inúteis, como os do Thunderbolts, X-Men, Jovens Vingadores, Heróis de Aluguel e Cavaleiro da Lua. Não li elas porque se tratam de heróis menos conhecidos (com excesão dos X-Men) e que não atribuem nada de importante na história geral. E eu não senti falta de nenhum deles.

Cable & Deadpool

  1. O gibi de Cable & Deadpool também é inútil, mas mesmo assim eu o li porque gostei da personalidade e da narrativa do personagem. É engraçado. Depois de ler os seus quadrinhos, fiquei sabendo que ele vai ganhar um filme produzido pela Fox. Legal, espero que fique bem feito. Se souberem fazer, Deadpool pode ser o Guardiões da Galáxia da Fox.

Homem-Aranha

  1. As revistas de O Espetacular Homem-Aranha são as melhores. Os desenhos são ótimos assim como a narrativa. Uma coisa que eu gostei são as notas do editor, que algumas vezes são bem humoradas.
  1. Falando em Homem-Aranha ele é um traidor. Ele está sempre pensando em fazer o que é certo, e ele se mostra um bom homem por causa disso. Os seus pensamentos e pontos de vista são as justificativas para ele ter mudado de lado. Mas ele esqueceu o que Tony Stark fez por ele e sua família. E ele ainda tinha prometido duas vezes com muita certeza de que independente do que acontecesse ele sempre ficaria ao seu lado. Mesmo que a sua mudança de lado tenha uma justificativa, ele não cumpriu com sua promessa, não considerou o que Tony Stark fez por ele, e sim, isso pode ser considerada uma traição a Tony Stark.

Tony Stark/Homem de Ferro

  1. Tony Stark é bem diferente nesses quadrinhos do que nos filmes da Marvel. Não sei se em algum outro quadrinho mais antigo ou mais recente que a Guerra Civil ele é mais parecido com a personalidade do Tony Stark dos filmes. Nos quadrinhos ele não é engraçado e nem sarcástico, e sim um homem sério que quer obedecer a lei. Aliás, para mim ele não assumiria essa posição, o que me surpreendeu.
  1. Tony Stark gosta de ter o controle da coisa toda. Isso é confirmado em Front Line #11 quando os jornalistas falam com ele e dizem que descobriram que ele se juntou ao Duende Verde para que ele pudesse fazer um ataque à Atlantida e os moradores de lá viessem fazer uma guerra com as pessoas da superfície, estimulando assim, os super-heróis a se registrarem. Não sei até que ponto isso deixa de ser controle e passa a ser manipulação.

Steve Rogers/Capitão América

  1. O rebelde da história, que para mim seria Tony Stark, é na verdade Steve Rogers, o Capitão América. Isso também me surpreendeu porque eu não esperava por isso, já que a personalidade de Steve Rogers que eu conhecia era as dos filmes. Não sei também se nos quadrinhos antes ou depois da Guerra Civil existe um Steve Rogers mais certinho e defensor de seu país assim como nos filmes.
  1. Eu que me tornei fã do Capitão América depois do seu segundo filme, mas me decepcionei com ele depois que o conheci nesses quadrinhos. Ele é grosso e duro. E se mostrou assim muitas vezes. (Mas continuo gostando do Capitão América do cinema).

Pantera Negra

  1. Inicialmente gostei da personalidade do Pantera Negra porque ele agia como um pacificador. Ele tentou fazer as pazes de Homem de Ferro e Capitão América, e aconselhou o Sr. Fantástico a ligar para a sua esposa, enquanto ele só se preocupava com a guerra. Mas não gostei quando ele se juntou ao Capitão América. Ele não tinha nada a ver com essa história do ato de registro porque ele é de outro país. E no fim ele pareceu se importar mais com essa guerra do que com o seu reino, que estava precisando dele.

Wolverine

  1. Gostei das revistas de Wolverine. É engraçado a forma que ele fala e vê o mundo. Ele é bem violento, mas é um herói diferente dos outros. Às vezes parece até um animal agindo somente por instinto. Ainda não assisti aos filmes de Wolverine e dos X-Men então não sei se o personagem nos filmes tem esse mesmo senso de humor e modo de falar. Mas depois de ler seus quadrinhos fiquei interessado em ver os filmes.

Super-heroínas

  1. Gostei da Mulher-Hulk. Não conhecia ela antes e nem sabia porque em vários quadrinhos só ela aparecia em vez de Hulk. Agora eu sei. O legal dela é que ela pode virar a Mulher-Hulk e ao mesmo tempo continuar a fazer todas as coisas normais do dia a dia, como conversar, pensar e trabalhar. É diferente de Bruce quando vira o Hulk que quase não pensa porque fica dominado pela raiva.
  1. Já a Miss Marvel não me surpreendeu tanto assim. Todas as revistas dela estavam relacionadas à Guerra Civil e por isso não deu para eu tirar qualquer conclusão sobre ela. A única revista em que ela impede um assalto num restaurante, ela não faz o trabalho sozinha e sim com um acompanhante (outro herói que me esqueci o nome). Isso faz ela parecer mais fraca do que realmente é. Dizem que ela faz parte do grupo dos heróis mais poderosos da Marvel. Não sei se eu não vi isso por causa dos acontecimentos da Guerra Civil ou porque ela só ganhou essa importância quando assumiu a identidade de Capitã Marvel.
  1. Fora Mulher-Hulk e Miss Marvel, a Marvel não tem nenhuma heroína mais conhecida. A quantidade em si é muito grande, mas elas estão sempre trabalhando em grupo (como a Mulher Invisível, Viúva Negra e Vespa, por exemplo) e não têm o mesmo destaque de um herói homem. Mulher-Hulk e Miss Marvel não têm destaque em ralação aos heróis homens, mas mesmo assim ainda são as mais conhecidas entre elas. É uma pena que a Marvel não conseguiu ainda fazer uma heroína como a Mulher-Maravilha. Talvez o filme da Capitã Marvel, que será landado em 2018, ajude nisso.

Outras impressões da guerra

  1. Tudo seria mais simples se os heróis que não quisessem se registrar deixassem de ser heróis. Mas não, eles nem querem aceitar o registro e nem deixam de combater o crime usando seus uniformes. São verdadeiros rebeldes. E por isso que teve da guerra, porque eles resistiram. Mas depois, pelo que eu percebi, mesmo a pessoa deixando de ser herói tem que se registrar. É obrigatório. Essa obrigação deixa a lei falha porque os Estados Unidos não é uma ditadura e sim uma democracia.
  1. Eu não vejo um lado certo e não torci por nenhum dos dois. O lado pró-registro, liderado por Homem de Ferro oprime as pessoas que não querem se registrar. O pior é que para obrigá-los a fazer isso ou prendê-los é necessário fazer uma guerra que acaba com tudo. O lado anti-registro, comandado por Capitão América é o grupo rebelde. Se é obrigado a se registrar, o que custa? Ninguém saberia das suas identidades secretas, somente o governo, a não ser que eles mesmos quisessem revelar, como fez o Homem-Aranha. E eles ainda fariam o que gostam – combater o crime – ganhando salário do governo. E o único argumento desse grupo é a falta de liberdade? Não gostei desse argumento, que é bem fraco. Parece um bando de cabeças duras.
  1. Não entendi a história da revista Homem de Ferro #14. Não acrescentou nada na saga.
  1. Também não entendi a volta do Capitão Marvel. Ele tinha morrido, mas quebrou a regra do tempo e voltou e já sabe que vai morrer de novo pelo mesmo motivo de antes? Confuso.

Filme do Capitão América 3

  1. Pelas notícias atuais de cinema, se a Marvel não conseguir fechar um acordo com a Sony para a inclusão do Homem-Aranha no terceiro filme do Capitão América, toda a parte dele ficará com o Pantera Negra. Muita coisa deverá mudar no filme. O que tem de confirmado até agora é que no filme não terá o registro de super-humanos porque no universo cinematográfico ninguém tem identidade secreta. Lá no filme a ideia será a de “a quem os heróis deverão se reportar?” (eles deverão trabalhar por conta própria, pelo governo, por uma empresa de segurança, etc.). Também acredito que as personalidades de Steve Rogers e Tony Stark deverão ser como eles já mostraram nos filmes anteriores. Só essa mudança poderá fazer toda a diferença porque o lado de cada um poderá ser diferente da dos quadrinhos (Capitão América a favor, e Tony Stark contra).
  1. O Homem-Aranha foi um personagem de destaque nos quadrinhos, junto com Capitão América e Homem de Ferro, talvez pelos três serem os heróis mais conhecidos da Marvel. Mas ao contrário do que dizem, ele não é tão necessário no filme. Dá muito bem para fazer o filme sem ele. Na verdade, todos os heróis que estão lá são desnecessários. Apenas Homem de Ferro e Capitão América, que são os principais, são realmente os necessários. As equipes de heróis de cada um pode mudar e não vai dar quase nenhum impacto na história.