segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Categorias:
,

O significado de Convergence para o futuro da DC Comics

Convergence

Convergence é um evento da DC Comics que apresentará novos quadrinhos e minisséries no lugar das publicações regulares. Também serão publicadas 40 minisséries que falarão sobre heróis que não entraram para os Novos 52 (o reboot de 2011) e outras questões que não tinham ficado claro para os leitores.

Inicialmente Convergence era tratado pelo povo apenas como tapa-buraco da DC porque ele será publicado no lugar das publicações regulares durante dois meses, que é o tempo em que a DC vai mudar de sede. Com essa mudança ficaria difícil continuar publicando as revistas, por isso eles resolveram criar novas revistas e personagens para serem publicados nesse meio tempo. Mas Convergence não é apenas um tapa-buraco. Ele é um teste das novas revistas que serão publicadas. Algumas delas são temporárias, mas se fizerem sucesso poderão ganhar publicação regular.

E não é só isso: Convergence vai mudar a forma de fazer quadrinhos da DC Comics. Será algo grandioso, que vai mexer com todas as revistas. É tipo um reboot, mas eles não irão contar as origens dos heróis novamente, como aconteceu em 2011, com o reboot que ficou conhecido como Novos 52. Aliás, as origens dos Novos 52 continuarão valendo.

“Esse anúncio trata de uma nova era para o Universo DC, que nos permitirá publicar de tudo para todas as pessoas, sermos mais expansivos e modernos no nosso enfoque, e permitirá contar histórias que melhor refletem a sociedade ao nosso redor”, disse Dan DiDio, copublisher da DC Entertainment. A DC Comics disse em comunicado oficial que “nesta nova era de narrativas, a história vale mais que a continuidade”.

Em outras palavras, o que foi dito foi o seguinte: depois de Convergence, os quadrinhos não serão mais dependentes um dos outros. Eles estarão no mesmo universo, mas você não vai precisar ler todas as revistas publicadas para poder entender a história. Se você quiser ler a revista de apenas um herói não vai ter problema nenhum, porque a partir de agora ele não vai ficar mais dependente de acontecimentos de outras revistas. Ele não vai mais ficar fazendo citações e sugestões do tipo “para entender essa parte leia tal revista”. Ele vai ter uma história própria, um universo próprio que o leitor poderá acompanhar sem problema. E se o herói que você acompanha fizer uma participação em outra revista, você não precisará saber, porque aquela é outra história, com outro roteirista.

Finalmente a DC percebeu que fazer reboots não é bom negócio para conquistar novos leitores, porque depois tudo fica a mesma coisa, com aquela bagunça e complicação. Eu já falei aqui no Mundo Geek que acho os quadrinhos complicados, e isso é verdade. Comecei lendo a saga Guerra Civil da Marvel, e para entender uma revista, eu tinha que ler outras antes, seja ela de outro herói ou de outro grupo de heróis. Isso não é legal porque complica e cansa o leitor. Não achei a saga tão legal quanto dizem que é, porque não sou nerd. Queria ver algo mais simplificado e que me deixasse preso de verdade na trama.

Esse mesmo problema aconteceu com muitas pessoas. Quando vinha um novo leitor, ele comprava uma revista e não entendia nada por causa dessas complicações. Para entender tudo ele tinha que ler todas as outras revistas, mesmo as que não gostasse. Para conquistar esses novos leitores, a Marvel e DC costumam fazer reboots, que é quando a contagem das revistas é iniciada do zero, para que quem quer acompanhar as revistas consiga ver do começo. Mas o modo de publicação continuava o mesmo: tudo tinha que estar entrelaçado. Isso sempre foi um problema, mas as pessoas aceitavam, porque quem costumava ler os quadrinhos era só os nerds, e eles gostavam disso, de ter que ler tudo para entender tudo.

Mas agora estamos numa nova era em que os filmes de super-heróis fazem um grande sucesso e os estúdios estão se organizando para montar os seus universos cinematográficos. Esses filmes levam a curiosidade de algumas pessoas de conhecer os quadrinhos. São novos leitores que estão vindo, e eles não são nerds. Se eles comprarem as HQs e não entenderem nada, não irão comprar nunca mais. E as editoras estarão perdendo dinheiro com isso.

Eu por exemplo, nunca me interessei em ler quadrinhos, até conhecer o Universo Cinematográfico da Marvel e ficar com algumas curiosidades. Então fui ler os quadrinhos, mas quando os conheci foi aquela decepção.

Para que as editoras conquistem esses novos leitores que estão vindo do cinema seria necessário fazer modificações na forma em que as histórias são contadas, de forma que agrade o grande público.

A DC foi esperta e percebeu tudo isso, e então veio a ideia de Convergence, que vai simplificar as coisas. Então, se eu assisto a série Arrow e gosto, e depois sentir vontade de comprar o gibi, eu poderei comprar e ler apenas ele. Mas se depois eu gostar do gibi e quiser ver mais sobre a Canário Negro, eu poderei comprar e ler ela também.

Se eu gosto do universo de Batman e vejo que tem várias revistas diferentes dele sendo publicadas ao mesmo tempo, eu não serei obrigado a ler todos para entender a história. Você lê apenas a revista que você mais gostar e pronto. Se você quiser ler todas, pode ler, mas elas não estarão interligadas. Elas terão histórias independentes.

Isso é bom para os leitores, que poderão ler apenas as revistas que querem e gostam, e para os roteiristas também, que terão mais liberdade criativa para escrever o que quiserem e o que acharem melhor pro personagem, sem ter que ficar preso a um acontecimento de uma saga ou a um acontecimento de uma revista de outro universo daquele personagem.

Era assim que os quadrinhos sempre deveriam ter sido. E é assim que eles serão a partir de Convergence, que acontecerá em maio e junho.

Agora só falta a Marvel perceber isso e seguir o mesmo caminho. Por enquanto ela está empenhada no novo reboot que virá depois da saga Guerra Secretas, mas pelo visto tudo vai ficar a mesma coisa: uma revista dependendo da outra porque todos estão no mesmo universo.

Quadrinhos de comédia - DC Comics - Convergence

Eu até fiquei com vontade de ler as revistas da DC depois de Convergence. Gostei das ilustrações de Bizarro, Bat-Mite e Prez (imagem acima), que mostram que serão revistas de comédia. Irei lê-los. Desejo sucesso a DC depois disso. É um acerto fazer essas mudanças e espero que as coisas realmente melhorem por lá.