quinta-feira, 26 de março de 2015

Categorias:

Resenha: A Série Divergente: Insurgente

Insurgente - FilmeTítulo Original: Insurgent

Título Nacional: A Série Divergente: Insurgente

Direção: Robert Schwentke

Gênero: Ação e ficção científica 

Duração: 1h59min

Distribuidora: Paris Filmes 

Estreia: 19 de março de 2015

 

Insurgente mostra uma evolução se compararmos com Divergente. Neste filme temos mais ação, mais drama, e a trilha sonora ficou com a cara do filme.

No primeiro filme, eles quiseram fazer tudo, e terminaram errando. A saga Divergente apresenta um modelo de sociedade futurístico complexo, que é muito interessante nos livros. Porém o primeiro filme saiu totalmente do foco quando deu destaque apenas ao romance de Tris e Quarto, deixando ele com cara de filme de romance adolescente. Por conta disso a trilha sonora ficou horrível, que não combinava com o gênero do filme. Além disso tudo, a apresentação das facções foi rasa e teve pouquíssima ação. Nos livros, o romance de Tris e Quatro tem muito destaque, mas a ação não fica em segundo plano, como ficou em Divergente.

Mas, felizmente, Robert Schwentke acertou o tom da trama nesse segundo filme, e o deixou mais realista e sombrio, sempre com muitos tiros e lutas. Deixou claro que está acontecendo uma guerra em Chicago. O romance ficou em segundo plano, dando o foco para o que realmente é importante na história, que é a guerra das facções. Dessa vez a trilha sonora valorizou o tom do filme, e não lhe deixou com cara de filme de romance de adolescente, como aconteceu no filme anterior.

A atuação de Shailene Woodley é excelente, e a de Theo James melhorou muito, em comparação com o outro filme, já que aqui ele tem mais destaque e participa mais ativamente dos principais acontecimentos de ação.

O filme ficou muito bom, e não é à toa que a sua bilheteria está sendo maior do que a de Divergente. Ele surpreende pela sua evolução. Com certeza se o primeiro filme tivesse sido feito da mesma forma que este, ele seria muito melhor, e daria um filme que a saga e seus fãs merecem.

Uma crítica que venho encontrado muito na internet, é que a trama é vazia, e os motivos de Tris querer salvar o mundo e de Jeanine querer acabar com os divergentes não são explicados. O motivo disso é que o filme errou ao não explicar tudo. Como já falei anteriormente, a sociedade de Divergente é muito interessante nos livros, mas os filmes não souberam explicar e mostrar essa sociedade e seus personagens. Tudo é muito complexo, e o filme termina ficando ruim para quem não leu o livro. Isso é um erro, porque um filme deve explicar por si só a história, sem precisar fazer referências ao livro, até porque são públicos diferentes. Jogos Vorazes fez isso muito bem. Você não precisa ler os livros para entender os filmes, porque tudo é explicado perfeitamente. Então eu deixo a dica: se você não leu os livros, não assista a este filme. Eu, como li os livros, entendi tudo o que se passa, e gostei desse filme mais do que o primeiro.

P.S.: Não gostei do título do filme aqui no Brasil. Ficou longo e feio. Poderia ser apenas “Insurgente”, como o livro, e como o título em inglês. Para que as pessoas soubessem que é o segundo filme de uma saga, era só fazer uma divulgação bem feita, que isso não ia ser problema. Ou então poderiam colocar “Divergente 2: Insurgente”. Mas esse título que escolheram ficou péssimo.

Leia também:

Nota: