segunda-feira, 9 de março de 2015

Categorias:

Resenha: Selma – Uma Luta Pela Igualdade

Selma - Uma Luta Pela IgualdadeTítulo Original: Selma

Título Nacional: Selma – Uma Luta Pela Igualdade

Direção: Ava DuVernay

Gênero: Drama, biografia 

Duração: 2h08min

Distribuidora: Disney/Buena Vista 

Estreia: 05 de fevereiro de 2015

 

 

 

Selma é um filme muito parado e chato. A imagem é um pouco apagada, com cores neutras para dar a impressão de que o filme se passa numa época antiga. Não gostei das cenas noturnas, que além dessa característica de “envelhecimento de imagem”, ainda colocava uma luz amarela que deixava a imagem feia e amadora.

Tudo bem ele ser baseado em fatos reais, mas poderia ser mais bem feito. Não gosto de filmes assim, que são baseados em fatos reais e resolvem colocar na tela a história como se fosse a vida real da pessoa. Fica uma coisa parada e chata. Ninguém quer ficar numa janela e assistir as tristezas e sofrimentos das outras pessoas como entretenimento. A mesma coisa é num filme. Por que fazer dessa maneira? Por que não colocar uma história para que o expectador possa acompanhar? Por que não colocar emoção? E por que não colocar uma trilha sonora que ajude nisso tudo? Achei Selma parecido com 12 Anos de Escravidão nesse sentido que estou falando. O filme inteiro é apenas um longo debate político.

Colocar emoção no filme e uma trilha sonora que nos leve a entender exatamente o que se passa na vida da pessoa com certeza deixa o filme melhor. Talvez não fique tão real quanto a vida verdadeira do personagem, mas também não criará nenhuma mentira e nenhum exagero, pois a história biográfica estará sendo apresentada integralmente (dependendo da adaptação do roteirista, é claro), e ainda vai deixar as pessoas mais interessadas em assistir, mais presas à trama, e depois vai render mais elogios e recomendações.

Não adianta fazer um filme desse jeito porque vai ficar ruim. Histórias Cruzadas apresenta uma história de racismo, mas de forma muito melhor. Tem o racismo sendo apresentado como realmente ele acontecia, tem uma história que prende o leitor, tem emoção (boas e ruins), e boa trilha sonora. É isso o que lhe faz ser um filme tão bom, e tão diferente de Selma.

Nota: