quarta-feira, 15 de julho de 2015

Categorias:

Resenha: Cidades de Papel (filme)

Cidades de PapelTítulo Original: Paper Towns

Título Nacional: Cidades de Papel 

Direção: Jake Schreier

Gênero: Aventura, romance, mistério 

Duração: 1h49min 

Estreia: 09 de julho de 2015

 

 

 

 

 

Eu esperava que Cidades de Papel fosse melhor. Não que ele seja ruim, mas é que ele é muito fiel ao livro. Um filme ser fiel ao livro é o maior desejo dos fãs, mas no caso de Cidades de Papel eu não acho que isso tenha sido bom, porque o livro tem alguns pontos negativos que foram mantidos no filme.

Um exemplo disso é que Quentin é muito besta. Sério mesmo. No livro mostra isso claramente, e o filme manteve essa característica do personagem. Eu não estou dizendo que a personalidade dele deveria ser mudada, mas alguns aspectos do filme poderiam ser mudados para que Quentin não fosse simplesmente se aventurar por aí com seus amigos só para procurar uma menina que ele estava apaixonado, e que mal falava com ele durante nove anos só porque era a popular na escola.

Se você parar para pensar nisso você vai ver como ele é besta. E no livro é ainda pior, por causa do tratamento que ele recebe de Margo depois que a encontra. Pelo menos o filme não mostrou isso da forma como está no livro. O que o filme poderia fazer é dar mais motivos para Quentin viajar, algo mais importante e mais aventureiro, e não só uma paixão.

A parte do meio é a mais chata do filme, assim como acontece no livro, e esse é outro ponto negativo. Essa parte do meio é quando Quentin está procurando por pistas. Parece que o filme deixa de ser de aventura e passa a ser apenas mistério.

O melhor personagem é Ben, porque as melhores e mais engraçadas falas estão com ele. Radar também é um bom personagem.

O filme fez pouquíssimas mudanças em relação ao livro, e todas elas foram para melhor. Nenhuma mudança drástica, e nada que prejudicasse a história. As mudanças ficaram boas.

De modo geral, Cidades de Papel é um bom filme. Tem muita aventura, cenas engraçadas, assim como cenas chatas. Todo o mérito que ele tem, seja bom ou ruim, é por ser fiel ao livro. As mudanças feitas foram de coisas pequenas, mas também poderia ter sido feita mais mudanças para tirar as partes não tão boas do livro e, assim, deixar o filme melhor.

Nota: