segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Categorias:
,

Resenha: Batman (Os Novos 52)

Antes de ler Batman, eu esperava que ele fosse no mesmo estilo dos quadrinhos de Arqueiro Verde, com algumas histórias boas e outras ruins, e que sempre ficasse com altos e baixos, já que os dois são vigilantes de suas cidades e combatem o crime. Mas me surpreendi e vi que Batman é muito melhor que o Arqueiro Verde. As histórias dele têm mais ritmo e são mais interessantes. Parece que a DC investe mais nele, porque é o personagem que mais vende, e termina se esquecendo do Arqueiro Verde, que é do mesmo tipo de Batman, tem um bom potencial, mas tem um azar de pegar roteiristas ruins. E quando tem alguém bom, como foi o caso de Jeff Lemire, ele sai depois de um arco.

Mas agora, vamos falar sobre a revista do Batman e si: o roteiro de Scott Snyder é muito bom. Eu vejo gente que não gosta dele, e critica as suas histórias. Como essa é a primeira vez que estou lendo quadrinhos, não tenho base para comparar com outros roteiristas que já escreveram o personagem, mas eu gostei do que vi. O desenho de Greg Capullo também é muito bom.

Batman de Greg Capullo

Não gostei muito da saga Noite das Corujas (edição 8 à 11). As revistas anteriores a ela fazem uma introdução à história das corujas e o envolvimento do Batman com elas, o que rende histórias muito boas, mas a saga em si não achei tão boa.

Também não gostei do Ano Zero (edição 21 à 33). Achei que seria tão bom quanto estava até então, mas não, ele é chato, mesmo sendo Scott Snyder ainda no roteiro. Melhora um pouco quando começa a parte de ação com o Charada, mas de modo geral, na minha opinião, essa é uma saga que diminuiu qualidade do que vinha sendo apresentado.

Podem falar o que quiserem, mas para mim, as piores histórias foram as do Coringa, nas duas vezes que ele apareceu. Era tão repetitivo e cansativo… E na segunda vez ficou pior por causa das longas explicações científicas que eram dadas sobre o vírus. Isso ficou muito chato. Algumas edições que se concentram na ação, porém, ficaram muito boas, voltando ao nível do que vinha sendo apresentado no começo.

O que posso dizer da revista do Batman é que ele é melhor do que eu achava que seria. Ele não tem os altos e baixos do Arqueiro Verde, por isso, mesmo as suas histórias ruins não chegam ao ponto de diminuir a sua qualidade geral, como aconteceu com o outro personagem da DC.

Nota: