sábado, 9 de janeiro de 2016

Categorias:
,

Resenha: Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Título Original: The Dark Knight Rises

Título Nacional: Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Direção: Christopher Nolan

Gênero: Ação, suspense, drama

Duração: 2h44min

Estreia: 27 de julho de 2012






Logo de início eu já vi Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge com um olhar de estranheza, porque ele começa mostrando Bruce numa área isolada da casa, e com um problema na perna que ninguém sabe de onde veio. Provavelmente ele estava só fingindo, porque do nada esse problema sai. Ele parece deprimido desde que deixou de ser o Batman. Não sai mais de casa, e muita gente nem sabe se ele ainda está vivo. Ele foi capaz até de deixar sua empresa, que segue tendo prejuízo nas ações por causa da sua ausência.

Todo esse drama não caiu bem. Depois aparece a Mulher-Gato, bem interpretada Anne Hathaway, mas que não tem a cara da personagem. Ela foi bem apresentada: foi mostrada como uma ladra, como uma heroína, como uma parceira do Batman, e como interesse romântico dele. Exatamente tudo o que a personagem é nos quadrinhos.

Bane é o vilão do filme. Ele é bem desenvolvido. Ele é um vilão forte, tanto fisicamente quanto nos seus recursos, mas não consegue se manter no nível de Coringa, no filme anterior. Mesmo assim ele foi bem trabalhado pelo filme e foi mostrado como uma ameaça real, e isso ficou muito bom. A trilha sonora apresentada em alguns momentos em que ele fala para a população nos ajuda a entender o perigo que ele representa para Gotham.

SPOILER: Mas não deu para aceitar como o Batman venceu ele no seu segundo confronto. No primeiro ele perdeu, e mostrou como Bane era superior na sua força e na sua preparação física. Foi nesse momento que senti falta novamente de um ator mais forte fisicamente para representar o Batman. Tudo bem que nos quadrinhos Bane é mesmo mais forte que Batman, mas nesse filme a diferença é grande. No segundo confronto, já no final do filme, é onde acontece a contradição: Batman ganha de Bane com facilidade, e sem motivo. Foi uma cena feita para que o Batman pudesse ganhar, e isso ficou sem sentido.
Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge é um bom filme. Não tão bom quanto o anterior, mas mantém o mesmo nível e não decepciona.

Nota: