quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Categorias:

Resenha: Unbreakable Kimmy Schmidt – 1ª temporada


Unbreakable Kimmy Schmidt é uma sitcom da Netflix que conquistou muita gente e ficou conhecida. Talvez ela não seja tão lembrada quanto as outras séries originais da Netflix, mas merece. A história tem com personagem principal Kimmy Schmidt, que é uma das 4 mulheres que ficaram presas num porão durante 15 anos, num suposto fim de mundo. Quando saem, Kimmy resolve levar uma nova vida, e é disso que a série se trata.

Uma das coisas que eu menos gosto em filmes e séries de comédia é a apelação. Parece que para uma comédia ser boa, ela tem que ter alguma piada com conotação sexual, e eu sempre acho isso desnecessário. O pior é que nem sempre isso funciona. Virou uma fórmula preguiçosa e pouco criativa para filmes e séries que querem ser engraçados. Alguém ainda consegue fazer funcionar (como A Espiã que Sabia de Menos e Férias Frustradas), mas nem sempre isso acontece. É por isso que eu gosto de filmes infantis e infanto-juvenis. Com Unbreakable Kimmy Schmidt isso não acontece, mostrando que é possível fazer uma boa comédia sendo leve e sem apelações. Algumas piadas da série são inocentes, e mesmo assim são engraçadas.

Existem algumas críticas sociais na série, como o casamento por interesse, a ditadura da moda e da beleza, o de você ser o que as pessoas querem e não o que você realmente é, e a da alienação religiosa (esse último nem sempre acontece, vai depender muito da sua religião e do líder que você segue). Tudo isso é feito de forma leve e descontraída.

A própria Kimmy é uma fofa, tanto no seu jeito de ser, como nas cores que usa em suas roupas. Os outros personagens também nos conquista rápido, cada um com suas histórias, cada um por seus motivos.

A abertura é feita com fotos e vídeos reais de Ellie Kemper, a protagonista, quando criança, e é ótima, principalmente pela música, que gruda na sua cabeça rapidinho.

O mais legal da série, volto a dizer, é o tom de leveza, o tom de que nada aquilo é de verdade, e que não exige muito de você para entender as coisas. Mesmo nos momentos dramáticos ele diz: “ei, não se preocupe porque isso vai acabar!”. É simplesmente uma série para assistir e se divertir. Ela não me fez rir muito, não é uma série que você diz: “oh, como essa série é engraçada!”, mas mesmo assim ela consegue lhe divertir e lhe prender na história. Os personagens são carismáticos, todos eles, por causa de suas características caricatas. A série também te conquista pelo ambiente que é apresentado, e pela forma como são feitos os diálogos. É uma série com alto astral. Gostei do que vi e já estou esperando pela segunda temporada!

Nota: