segunda-feira, 30 de maio de 2016

Resenha: Legends of Tomorrow – 1ª temporada

Legends of Tomorrow - 1ª temporada

Legends of Tomorrow veio com a ideia de colocar os personagens coadjuvantes das series The Flash e Arrow para viverem uma aventura de viagem no tempo. A ideia é boa, mas foi muito mal desenvolvida. Faltou criatividade para que os episódios não ficassem repetitivos, que foi o que aconteceu. Como se já não bastasse pegar os personagens coadjuvantes das outras séries e colocá-los para ter uma série própria, ainda fizeram uma série com histórias fracas. Se pelo menos as histórias fossem boas, ninguém ligaria pelos personagens ser de nível C.

Mas eu estava gostando mesmo assim. A série teve episódios muito bons, mas depois comecei a perceber que todos eles tinham a mesma história: a busca pelo mesmo vilão, que terminava escapando, ou então, acontecendo alguma coisa que impedisse o grupo de capturá-lo de vez. Falando em vilão, Vandal Savage não me convenceu como uma grande ameaça. Quer dizer, a todo o momento é falado dos seus planos terríveis, mas mesmo assim a série não me passou esse sentimento de ameaça.

Durante todos os seus episódios ficou muito comum aparecer lutas do nada entre os personagens, sem nenhuma justificativa, só para que tivesse cena de ação. As cenas de ação são boas, principalmente as de Canário Branco (que, aliás, não deveria ter saído de Arrow, onde tinha uma história e desenvolvimento muito mais interessante), mas como disse, várias dessas cenas não tinham um grande motivo. Às vezes os personagens só estavam treinando uns com os outros, ou então inventavam uma briguinha besta como desculpa para que acontecesse a cena de ação. Isso representa aquela falta de criatividade que falei mais acima, e revela a pobreza do roteiro dessa série.

Por ser uma série de mid season, imaginei que ela fosse ter em torno de 10 episódios, mas ela passou disso e teve um momento que parecia que nunca ia acabar. Terminei achando que a CW esticou para 23 episódios, mas ainda bem que acabou com 16 (e ainda assim foi muito longo). Já não aguentava mais tanta enrolação para pegar um vilão sem gravidade e tantas repetições de histórias em situações diferentes.

Os romances que aparecem são forçados e também contribuem para a enrolação e repetição de tramas. Teve um momento que o romance de Ray e Kendra estava até bom, mas depois conseguiram estragar.

E os personagens ficaram chatos em sua maior parte. Ray é pouco aproveitado com os poderes da sua armadura, e é mais usado como par romântico de Kendra. Kendra, por sua vez, é uma mulher cheia de dúvidas e um vai e vem que dá agonia. Carter, o Gavião Negro, que devia ser o forte e o guerreiro, é só um fraco que vive morrendo em todas as suas vidas. Professor Stein deixa de ser o cientista útil e prestativo do início da 2ª temporada de The Flash para ser um velho que vive reclamando com Jefferson, seu parceiro. Jefferson é um adolescente rebelde que chega a ser insuportável (era melhor quando a dupla de Stein era Ronnie, eles se davam mais bem e tiveram poucas brigas). Rip é um capitão cheio de dúvidas. No começo já tinham resolvido o problema dele ter motivos egoístas para a missão, mas depois advinha o que fizeram? Trouxeram o problema do egoísmo de novo à tona, sem mais nem menos. Mick teve uma virada, que ficou muito mal feita e sem sentido. Os únicos personagens que ainda são decentes é Sara e Snart. Mas o resto...

E para concluir, se alguém me perguntar se Legends of Tomorrow é uma série tão ruim quanto digo aqui, minha resposta é não, ela não é uma série tão ruim assim. Aqui estou apenas falando dos seus pontos negativos, que foi o que mais se sobressaiu, na minha opinião. Ela é uma série com alguns episódios bons, mas a maioria são regulares, e no geral é cheia de erros. Muito provavelmente não vou assistir a 2ª temporada, porque nessa primeira já estava impaciente no meio dela, querendo que acabasse logo.

Nota: