segunda-feira, 18 de julho de 2016

Resenha: Action Comics (Os Novos 52)

Superman - Action Comics - Os Novos 52

Escrito por Grant Morrison e desenhado de Rags Morales, as histórias de Action Comics mostram as primeiras aventuras do Superman. Por causa disso é recomendável que você leia esta revista antes de ler o título Superman (ou então que você leia as duas simultaneamente), até porque quando você chegar lá, verá muitas referências.

Achei o Superman daqui diferente. Ele não liga muito para as autoridades, é metido por ter os seus poderes, e sempre diz: “me peguem se puder!”, ou coisas do tipo, simplesmente se vangloriando por ter poderes e ninguém conseguir prendê-lo (como você pode ver nas imagens acima e abaixo). Ele é arrogante. Acho que essa não é uma característica que deveria estar presente no Superman. Como vemos no filme O Homem de Aço, chega um momento que ele é preso, e ele não questiona isso, porque antes de tudo ele é um cidadão que obedece a lei.

Superman - Action Comics - Os Novos 52 (2)

As histórias e os vilões são parecidos com os do título Superman, ou seja, um grande vilão aparece querendo acabar com o herói, então ele vai lá e derrota ele, e fim. Histórias simples e repetitivas, que enjoam. Não são ruins, mas também não são boas. São enjoativas, e acho que por isso o personagem não conseguiu me conquistar em nenhuma das duas revistas.

As edições 5 e 6 o desenhista é And Kubert, mas Grant Morrison continua escrevendo. Mesmo assim o foco das histórias mudaram, porque agora vemos o passado de Clark, e muitas vezes em épocas e locais diferentes, como histórias paralelas na mesma página. Dá para entender tudo, mas algumas vezes fica um pouco complicado. Em compensação, essas histórias do passado chegam a ser melhores que as do presente.

Assim como a revista do Superman, não consegui avançar em Action Comics, e parei nas primeiras edições. Não sei como ficaram essas duas revistas depois, apenas sei que houveram mudanças após Convergência, mas isso não foi o suficiente para me dar ânimo a voltar a lê-las. Simplesmente escolhi não me submeter a isso, a ler HQs que não estava gostando (porque fazer isso é o mesmo que gostar de sofrer!).

Nota: