segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Categorias:

Resenha: A Garota Que Eu Quero

A Garota Que Eu Quero - CapaTítulo: A Garota Que Eu Quero

Autor: Markus Zusak

Editora: Intrínseca

Número de páginas: 174

Ano: 2013

Comprar (livro impresso)

Comprar (livro digital)

 

 

 

 

 

Muita gente não sabe, mas A Garota Que Eu Quero é o terceiro livro de uma trilogia (a trilogia Irmãos Wolfe). O primeiro é O Azarão, e o segundo é Bom de Briga. Mas lendo apenas A Garota Que Eu Quero, você verá que não tem nada faltando na história, e é até como se os dois primeiros livros não existissem. A conexão entre os dois primeiros livros são maiores do que com esse terceiro. O autor reconta alguns detalhes dos livros anteriores, e dessa forma, se você não leu os outros livros, vai conseguir entender tudo.

Mas, se você ler os outros dois livros vai saber mais da história dos irmãos Cameron e Ruben Wolfe. Se eles são bons, aí é outra história. Recomendo que você leia as minhas resenhas sobre eles:

Quando comecei a ler A Garota Que Eu Quero não só a minha expectativa estava baixa, como também meu ânimo, graças à qualidade do livro anterior. Por causa disso não consegui lê-lo com o mesmo ritmo que os outros, mas quando lia passava um bom tempo nele. Por sorte ele retomou o tema do primeiro livro, colocando como o principal da história a vontade de Cameron de ter uma namorada para tratá-la bem.

O início do livro é um pouco chato, mas quando começa a parte do romance é que ele se salva de ser tão ruim quanto Bom de Briga.

No fim de cada capítulo surgem histórias criadas por Cameron que dizem o que se passa em sua vida de forma metafórica. Elas substituem os sonhos do primeiro livro e as conversas de Cameron e Rube antes de dormir do segundo livro.

O tema que ele aborda não é novo, e já foi falado no primeiro livro e também no segundo, ainda que muito pouco. Se torna repetitivo algumas vezes, porque você percebe que já leu aquilo. É como se fosse uma nova versão de uma história já contada. Parece que Makus Zusak gostou desses personagens e queria aproveitá-los de alguma forma, mas não sabia bem o que fazer, e o resultado foi uma trilogia de ruim para mediana.

Nota: