segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Categorias:

Resenha: La La Land – Cantando Estações

1Sheet_Master.qxdTítulo Original: La La Land

Título Nacional: La La Land – Cantando Estações

Direção: Damien Chazelle

Gênero: Comédia, musical, romance, drama

Duração: 2h08min

Estreia: 19 de janeiro de 2017

 

 

 

 

 

Eu nunca gostei de música demais, seja em programa de televisão ou em filmes. Por isso achei que por La La Land – Cantando Estações ser um filme musical eu não iria gostar. Mas me enganei. Logo na primeira cena do filme ele já te conquista com aquela música e danças alegres. Aquela primeira cena já mostra bem como o resto do filme será: com muita música alegre, ótimas danças, bonitos visuais, e uma direção diferenciada.

Não são poucos os momentos em que o filme se parece com filmes antigos. Começa logo pelo letreiro do nome do filme, que é o mesmo usado para apresentar as estações. Depois vem as roupas das dançarinas mulheres, que são sempre vestidos, a forma como se encerram e começam algumas cenas, e a própria música, que dá destaque ao jazz, tema também falado no roteiro. La La Land usou itens clássicos, e acho que também virará um.

As músicas são sempre alegres e por isso são contagiantes. Você se sente assim desde a primeira música do filme, logo no seu início. As coreografias são muito boas. Até as músicas que são só instrumentais também são muito boas. Também gostei do romance entre Mia e Sebastian, e do modo como ele foi desenvolvido.

A fotografia é linda. Muitas cenas, principalmente as de dança, são feitas ao anoitecer ou à noite. A iluminação é um destaque também: mesmo nas cenas de dança feitas à noite tudo é bem claro. Gostei da forma como sempre que um personagem canta, dança ou toca, tudo escurece ao seu redor, deixando destacado apenas a música. A fotografia, as cores e a iluminação são pontos a favor do filme, que lhe deixa visualmente bonito e atraente.

Emma Stone está linda, principalmente nas cenas de dança, onde aparece com aqueles vestidos bonitos e coloridos que eu disse mais acima. Teve uma cena em especial, onde ela e Ryan Gosling dançam romanticamente nas estrelas, que me passou uma sensação de que ela poderia ter um papel de princesa em um dos filmes live action da Disney, que cairia muito bem. Uma pena que sabemos que isso não acontecerá porque ela já foi confirmada no filme de Cruella como a personagem principal. Pelo menos será uma oportunidade que ela terá de fazer uma vilã e algo mais dramático, um papel diferente do que ela fez aqui em La La Land.

La La Land – Cantando Estações me surpreendeu. É um ótimo filme. Não é à toa que foi tão elogiada pela crítica, e que levou 7 Globos de Ouro (batendo recorde de filme com mais Globo de Ouro) e é um dos favoritos ao Oscar.

Nota: